Kamara Kó abre exposição de Danielle Fonseca

nao cantarei o marNo próximo dia 04 de junho, a artista visual Danielle Fonseca lança na Kamara Kó Galeria sua nova exposição ““Sabe, Eu já Estive no Mar Antes”. O título é uma tradução de trecho de uma canção de Joni Mitchell, mas, além disso, será para apresentar ao público parte da pesquisa da artista que foi premiada com o Prêmio de Produção e Difusão Artística 2016 da Fundação Cultural do Pará e ainda não mostrada antes e outros trabalhos. Serão aquarelas, fotografias, escultura e o filme “Posseidon é cabra, abelha e o movimento dos barcos”.
 
A edição das obras foi feita desta vez em parceria com a historiadora Bárbara Palha que também assina um dos textos que estarão na galeria, além do texto de Bárbara, há também um texto do curador do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, Raphael Fonseca que diz “Podemos afirmar que a pesquisa de Danielle Fonseca se articula essencialmente na relação entre imagem e texto. Além de ser uma criadora dentro das chamadas “artes visuais”, a artista se caracteriza também pela sua produção como escritora”.
 
gerry lopez aquarelaHaverá ainda uma obra interativa onde o público poderá viver a experiência à maneira do artista conceitual Piero Manzoni, de se transformar em escultura vivente, porém com gestos de surfistas. Danielle vive e trabalha em Belém, sua poética é composta a partir de elementos da literatura, poesia, filosofia, da música e da paisagem.
 
Participou de Exposições e Projetos artísticos: Artista indicada ao Prêmio PIPA 2016; Projeto Amazonian Video Art no Centre for Contemporary Arts (Glasgow; Escócia, 2016); “Brasil: Ficciones” Espaço Tangente (Burgos,Espanha,2016); “Film and video programme SET TO GO”no Contemporary Art Centre (Vilnius, Lituânia,2015/2016); “Film and video programme SET TO GO” no SINNE (Helsinki, Finlândia, 2015); “Nossos passos fazem jorrar a sede” selecionado na II Mostra do Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo 2015 (São Paulo); Exposição coletiva “Outra Natureza” na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (Portugal/2015); Exposição de Videoarte “Brasil: Ficções” no Armazém do Chá (Porto-Portugal); Exposição “Pororoca: A Amazônia no MAR” no Museu de Arte do Rio (MAR/RJ) entre outros.
 
A exposição abre neste domingo, 4 de junho, em mais uma edição do Projeto Circular Campina-Cidade Velha. Além da exposição durante o período de exibição haverá outras atividades na galeria, como um bate papo com visita guiada. Endereço: Trav. Frutuoso Guimarães, 611, entre Riachuelo e General Gurjão. Contato: 3261-4809. Horário: 10h às 18h.